Um Beijo Inesquecível (Os Bridgertons 7) - Julia Quinn

2 de agosto de 2018

Título: Um Beijo Inesquecível - Os Bridgertons 7
Autor: Julia Quinn
Páginas: 272
Ano: 2016
Editora: Arqueiro
Gênero: Romance de Época
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Toda a alta sociedade concorda que não existe ninguém parecido com Hyacinth Bridgerton. Cruelmente inteligente e inesperadamente franca, ela já está em sua quarta temporada na vida social da elite, mas não consegue se impressionar com nenhum pretendente.
Num recital, Hyacinth conhece o belo e atraente Gareth St. Clair, neto de sua amiga Lady Danbury. Para sua surpresa, apesar da fama de libertino, ele é capaz de manter uma conversa adequada com ela e, às vezes, até deixá-la sem fala e com um frio na barriga.
Porém Hyacinth resiste à sedução do famoso conquistador. Para ela, cada palavra pronunciada por Gareth é um desafio que deve ser respondido à altura. Por isso, quando ele aparece na casa de Lady Danbury com um misterioso diário da avó italiana, ela resolve traduzir o texto, que pode conter segredos decisivos para o futuro dele.
Nessa tarefa, primeiro os dois se veem debatendo traduções, depois trocando confidências, até, por fim, quebrarem as regras sociais. E, ao passar o tempo juntos, eles vão descobrir que as respostas que buscam se encontram um no outro... e que não há nada de tão simples e de tão complicado quanto um beijo.




Resenha: E enfim chegamos ao sétimo livro desta encantadora família (leia as resenhas anteriores aqui), e preciso dizer que está cada vez melhor!

"Mas podia tentar compreendê-lo, podia amá-lo e, talvez, se ela desse o seu melhor, poderia preencher o vazio que havia dentro dele.
Quem sabe ela podia lhe proporcionar aquilo de que precisava.
E talvez isso fosse tudo o que importava. " 

Aqui, conheceremos Hyacinth, a filha mais nova da família Bridgerton. A garota fala o que vem à cabeça, não se importa com as convenções, é audaciosa e temida pelos homens que a conhecem pois "não gostam de conversar com uma mulher mais inteligente do que eles". Uma vez por semana, ela vai a casa de Lady Danbury a fim de ler para esta senhora.

Gareth St. Clair é sobrinho de Lady Danbury, um solteiro convicto, nem pensa em casar, é o filho mais novo de um pai intransigente, ausente e que o renega como filho, pois suspeita que o rapaz seria filho de outro homem.

Gareth e Hyacinth se conhecem, obviamente, porém pouco já haviam conversado, até que em um daqueles bailes promovidos para que as moças encontrem seus maridos, acabam conversando um pouco mais do que de costume. A antipatia é imediata e recíproca.
"- Não sei como você faz isso, Hyacinth...Apesar de ser irritante, sempre consegue ser encantadora.
- É o meu maior dom - esclareceu Hyacinth de forma recatada."
O irmão de Gareth havia morrido e sua esposa encontra um antigo diário da sua avó (a mãe de seu pai) guardada em meio aos pertences do marido, este diário deveria ser entregue a Gareth, mas há um problema...sua avó era italiana e obviamente o diário está todo neste idioma. O rapaz não sabe traduzir e vai conversar com sua outra avó (Lady Danbury) a fim de arranjar alguém que o faça, isso acontece justamente numa terça feira, que é o dia em que Hyacinth costuma visitá-la. E adivinhem só quem é que fala italiano e se dispõe a traduzir o diário? Pois é...

E aí começam as aventuras. Naquele diário pode haver a confirmação que Gareth tanta sonha...quem é seu pai realmente? Além do mais seu "pai" que arruinou a família deixará apenas dívidas para o rapaz e durante uma das traduções, Hyacinth descobre que pode haver uma fortuna em jóias escondida na casa. Casa essa que Gareth não entra a dez anos.

"Hyacinth sorriu. Ele era engraçado. E inteligente. E muito, muito bonito, embora isso jamais tivesse sido colocado em questão. Ela se deu conta de que Gareth era tudo aquilo o que sempre dissera para si mesma que procurava num marido."

Em meio às traduções, segredos, brigas, invasões, fugas e tanto mais que não posso contar, sobrará tempo para que os jovens descubram o amor? Só lendo para saber....

Eu não consigo apontar qual das histórias eu gostei mais até agora! Cada filho de Violet Bridgerton tem uma personalidade diferente e extremamente bem construída.

Como na vida real, nenhum filho é igual ao outro e todos são maravilhosos ao seu jeito. Hyacinth em outros livros me irritava profundamente. Eu sempre a achei irritante, intrometida, chata e egoísta, acontece que ela só não tinha sido apresentada à nós ainda, quando a conhecemos, percebemos o quanto ela é incrível e inteligente. Ela arrisca tudo, até sua honra para ajudar o homem que ama, ela o entende, o acolhe e o ajuda.

A história é muito bonita! As fugas à noite para invadir a casa são hilárias e de todos que já li, esse foi o mais "ousado" em se tratando das convenções.

Enfim, recomendo demais a leitura! Gente, leiam, quem nunca leu um romance de época por achar que é chato (acredite, eu nunca havia lido) tentem...a diversão é garantida! Julia Quinn mantém os diálogos tão envolventes e divertidos que quando percebemos, o livro acabou.


"Mas, desta vez faria direito. Aquele seria o primeiro beijo dos dois. E seria um beijo inesquecível."

2 comentários

  1. Amo o trabalho de Julia, mas como tenho somente acompanhado as resenhas e ainda não tenha lido nenhum dos livros, fico aqui só babando em cada livro.
    Acho que se tratando de Julia, não existe isso de romance de época ser chato, o bom humor é uma das marcas registradas da autora e pelo que li acima, isso continua bem evidente!rs
    Espero começar a série o quanto antes.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise!
    É tão bom qdo deparamos com uma leitura que nos prende...Ainda não li livros da autora, tenho mta vontade de conhecer e espero que surja uma oportunidade em breve.
    Bjs!

    ResponderExcluir