Os Bons Segredos - Sarah Dessen

3 de agosto de 2018

Título: Os Bons Segredos
Autor: Sarah Dessen
Páginas: 408
Ano: 2015
Editora: Seguinte
Gênero: Ficção, Jovem Adulto
Adicione: Skoob
Onde Comprar: Amazon
Nota: 
Sinopse: Há segredos muito bons para serem guardados — e livros muito bons para serem esquecidos. Sydney sempre viveu à sombra do irmão mais velho, o queridinho da família. Até que ele causa um acidente por dirigir bêbado, deixando um garoto paraplégico, e vai parar na prisão. Sem a referência do irmão, a garota muda de escola e passa a questionar seu papel dentro da família e no mundo. Então ela conhece os Chatham. Inserida no círculo caótico e acolhedor dessa família, Sydney pela primeira vez encontra pessoas que finalmente parecem enxergá-la de verdade. Com uma série de personagens inesquecíveis e descrições gastronômicas de dar água na boca, Os bons segredos conta a história de uma garota que tenta encontrar seu lugar no mundo e acaba descobrindo a amizade, o amor e uma nova família no caminho. 
Resenha: O livro Os Bons Segredos conta a história comum de uma família normal e é isso!!! Nada de grandes revelações ou grandes segredos.
"Você sempre acha que quer ser notada. Até ser notada."
Sydney é a mais nova de dois irmãos, e como todo o adolescente, ela se sente excluída do núcleo familiar, pensa que toda a atenção de seus pais vão para Peyton, desde sempre porque, nas palavras dela "seu irmão é tão irresistível que todo o mundo se encanta por ele". Os irmãos eram bem unidos na infância, porém quando Peyton  cresce e entra na adolescência, ele meio que se afasta de sua irmã e vai ao encontro de novas amizades. então ele começa a fazer as besteiras que alguns adolescentes tanto gostam: roubar, beber, dirigir sem prudência, vai preso várias vezes, levando sua família à loucura, até que um dia ele atropela um menino e o deixa paraplégico, enfim acaba preso e aí começa o martírio da família.
"É por isso que o importante não é apenas sermos vistos, mas ter alguém que nos veja também."
Sydney, que já imaginava que era invisível, se vê completamente esquecida por seus pais. Mais por sua mãe, ela vive em função do bem estar de Peyton, Torna a vida de todos em casa terrível pois para ela o filho não é culpado e seu "drama" na prisão deve ser atenuado com visitas, carinho e compreensão, só que Sydney não vê a coisa desse modo, e ela começa absorver para ela a culpa que julga que seus pais e irmão deveriam sentir. 

Em uma tentativa de mudar de ares e não ser reconhecida como a irmã de Peyton, decide trocar de escola, e com essa mudança, conhece os Chatham. Uma família simples, bem mais do que a dela, que vive com o pouco conforto que conseguem, porém unida e amiga ao extremo. Layla se torna rapidamente sua melhor amiga ajudando inclusive a lidar com Ames, amigo de seu irmão que ela "herdou" quando esse foi preso. Além de Layla, ela conhece seu irmão Mac e seus pais, que a acolhem sem pestanejar, e ali ela, enfim se sente bem e em casa. Pronta para dividir seus segredos, todos eles, e pronta pra enfim tentar superar a tragédia que seu irmão provocou.
"Um fenômeno estranho acontece quando a coisa deixa de ser um fato isolado para se tornar um hábito. Como se o problema já não fosse um visitante temporário, mas alguém que se mudou de vez para a sua casa."
O livro é narrado em primeira pessoa, e é até certo ponto parado. Nada acontece ou muda de forma muito abrupta, e devo confessar que está longe do estilo que eu costumo ler. E eu adorei isso...É um daqueles livros que você quer que todos a sua volta leiam! 

Mas porque??? Porque é uma leitura tão profunda, com fatos tão verdadeiros e tão reais, que se desenrolam de uma maneira tão "certa" e tão linda que chega a ser uma lição de vida! 
"Quando nos vemos diante da coisa mais assustadora, só queremos voltar atras, nos esconder no nosso lugar invisível. Mas não podemos. É por isso que o importante não é apenas sermos vistos, mas ter alguém que nos veja também."
Vou trazer alguns detalhes aqui que eu não dei antes: O pai da Sydney está mais para um figurante bem distante do que um pai de família e a mãe é que é a dominante da família, até aí, nada de mais há famílias assim e ponto. O homem trabalha e passa seus dias fora enquanto a mãe assume a casa e suas responsabilidades. E tem que ser dura e enérgica, só que nem por isso eles deixam de ser pais amorosos, vemos isso nos detalhes, com isso o pai acaba mesmo "baixando a cabeça" para algumas decisões da mãe, já que é ela quem fica em casa e conhece os problemas. Não foi por isso que Peyton agiu como agiu. Ele foi irresponsável e inconsequente e a culpa é só dele. E Sydney acha que é invisível mas não é assim que eu vejo, isso é algo que só ela vê antes dos problemas que o irmão causou. Claro que depois, ela fica realmente meio de lado, mas que mãe não faz de tudo para tentar melhorar a vida de um filho que precisa? mesmo que esse filho tenha feito bobagens e mais bobagens? Afinal sempre há  esperança de que a culpa,  a prisão ou o juizo falem mais alto não é? Amor de mãe é incondicional e igual aos filhos, sempre! 

Em um dado momento a mãe de Sydney a pega fazendo uma bobagem e impõe um castigo enorme, absurdo e exagerado à filha. Novamente, que mãe não quer o melhor ao seu filho? Então, desesperada por evitar que a filha cometa os mesmos erros já vistos ela se torna intransigente, está errada? Jamais! Exagerou sim, mas é reflexo do seu amor e do medo de perder mais um filho para uma prisão ou algo pior.

Cabe a menina tentar se impor e mostrar que ela não está seguindo o mesmo caminho de Peyton e reconquistar a confiança da mãe. Algo que ela faz e sem querer, com a ajuda de seus novos amigos.

Enfim, se você que ler um romance despretensioso, sofrido, bonito e real, leia Os Bons Segredos, foi a história mais linda que eu li em se tratando de família, é um tema real, com ações, reações e atitudes reais, com sentimentos conflitantes, que vemos no dia a dia de muitas famílias por aí.

O pai, que baixa a cabeça, sabe a hora de tomar atitudes enérgicas. A mãe opressora sabe ser carinhosa e compreensiva,  a filha culpada por algo que não fez supera sua culpa e fortalece seu laços com o irmão, que enfim entende que agiu mal e que tem que aceitar e pagar sua dívida e os amigos....esses estão sempre lá, para o que precisar, como uma amizade deve ser!
"Era isso. Ninguém era capaz de saber o que viria adiante; o futuro era a única coisa que jamais poderia ser destruída, porque ainda não tivera a chance de existir. Num minuto, você está andando sozinha pelo bosque escuro; no outro, a paisagem muda, e você enxerga. Enxerga algo maravilhoso e inesperado, quase mágico, que jamais teria encontrado se não tivesse seguido em frente. Como uma nova amizade, que parece antiga, uma lembrança que nunca vai esquecer. Talvez até um carrossel."
Enfim, recomendo demais a leitura, vale super a pena!

2 comentários

  1. Acho que de vez em sempre é bom a gente se jogar em algum tipo de leitura que não nos é até em certo ponto, confortável.
    Dramas familiares tem esse poder de nos colocar no enredo, por fazerem com que nos coloquemos em algumas situações que já vivemos ou até estamos vivendo.
    Gosto muito das letras da Sarah e desta maneira de trazer problemas normais, comuns em nossa realidade.
    Vai para a lista de desejados com certeza.
    Beijo

    ResponderExcluir
  2. Oi Denise!
    Esse livro já está nos meus desejados, qro mto conhecer a história, tenho o livro Só Escute da autora e será minha próxima leitura, espero curtir a escrita dela ...
    Bjs!

    ResponderExcluir